<dezembro de 2017>
domsegterquaquisexsáb
262728293012
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31123456

» Pesquisar:


» Em que área gostaria de ver mais Intervenção





Número de Visitas:  0093332

» Desenvolvido por:
Torre do Relógio

A Casa da Câmara, que pega com a Torre do Relógio, foi igualmente destruída na mesma altura pelos castelhanos, sendo posteriormente reconstituída. É um edifício de duas salas em cada um dos seus dois pisos. Para as duas salas do rés-do-chão, foi transferida, em 1758, a Cadeia, depois do edifício próprio, situado na rua de baixo, rente à Torre, ter ruído.
Os presos entravam na cadeia por um alçapão aberto no piso superior, descendo por uma escada móvel que logo era retirada. As duas celas, uma para pessoas do sexo masculino e outra para o sexo feminino, têm entradas iguais mas independentes.Cada uma tem uma janela fortemente gradeada, através da qual os amigos e familiares podiam comunicar com os presos e levar-lhes alimentos ou insultos. O Largo da Cadeia ou Largo do Pelourinho, foi e é hoje, uma ampla janela, aberta a Sul e a Poente, dominadora de um horizonte vastíssimo, visita indispensável do turista que venha a Cabeço de Vide.



A Torre do Relógio, da qual não se sabe a idade, não foi construída para relógio, embora no séc. XVI tenha passado a ter essa função.
Tem uma estrutura quadrangular em alvenaria com quinais de granito, quatro olhais e um sino. Na cúpula tem uma pirâmide quadrangular, com doze pequenas pirâmides de igual desenho, no patamar. O antigo relógio está voltado a sudeste e o novo para sudoeste. O mostrador do relógio primitivo tem a data de 1570 mas, no reboco, imediatamente por baixo, está a data de 1741, que tanto pode ser da colocação do relógio como de alguma reparação na torre.
Antes de haver relógios, as torres tinham geralmente funções religiosas e cívicas. As primeiras consistiam em convocar os fiéis para os actos do culto, para as solenidades religiosas ou para os funerais; as segundas consistiam em alertar o povo em momentos de perigo ou para a difusão de outras mensagens.
A torre, que não é por essência um elemento do corpo do templo, pode inicialmente ter tido funções religiosas de apelo ou de aviso, por meio dos seus sinos. Há em Portugal várias igrejas antigas, cujas torres estão separadas dos templos por alguma conveniência. Esta hipótese encaixa numa outra respeitante à inexistência de torre na primitiva Igreja de Cabeço de Vide. Assim sendo, esta torre bem pode ter sido a torre da primitiva Igreja.
Era também a torre sineira que marcava o início e o termo dos trabalhos diários do campo (nascer e pôr-do-sol), a hora do jantar e o meio-dia.
Estes toques, em linguagem de fé, são chamados Angelus.

 
Data de
 

» Mensagem do Presidente




» Farmácias de Serviço


» Meteorologia

» Para Hoje